BC reduz juros pela 7ª vez, a 3% ao ano, o menor nível da história

07 de maio de 2020

>JUROS


BC reduz juros pela 7ª vez, a 3% ao ano, o menor nível da história

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central cortou hoje a taxa básica de juros (Selic) em 0,75 ponto percentual, de 3,75% para 3% ao ano. É o menor patamar desde o início da série histórica, em 1996. A decisão foi unânime.

O comitê argumenta que, neste momento, a economia requer "estímulo monetário extraordinariamente elevado", mas deixou em aberto a possibilidade de novos cortes nos juros. A trajetória fiscal ao longo do próximo ano será decisiva "para determinar o prolongamento do estímulo", explicou o comitê.

Este foi o sétimo corte seguido, o terceiro anunciado neste ano, e ocorre em meio a preocupações sobre os efeitos do coronavírus no mundo.

Vários países têm adotado medidas para tentar estimular suas economias e evitar uma crise. O banco central dos EUA (Federal Reserve, ou Fed), por exemplo, fez dois cortes emergenciais de juros —o último aconteceu em 15 de março, para perto de zero.

Ciclo de cortes da Selic começou em 2016

Em outubro de 2016, o BC deu início a uma sequência de 12 cortes na Selic. Neste período, a taxa de juros caiu de 14,25% ao ano para 6,5% ano. De maio de 2018 até junho de 2019, a taxa foi mantida no mesmo patamar. Foram dez encontros do Copom sem mudanças na Selic.

No final de julho do ano passado, o Copom reduziu a Selic em 0,5 ponto percentual, para 6% ao ano. Em dezembro, a taxa já estava em 4,5% ao ano. Em fevereiro deste ano, foi reduzida novamente, para 4,25%; em março, para 3,75%.

Juros ao consumidor são mais altos

A Selic é a taxa básica da economia e serve de referência para outras taxas de juros (financiamentos) e para remunerar investimentos corrigidos por ela. A Selic não representa exatamente os juros cobrados dos consumidores, que são muito mais altos.

Poupança rende menos

Com os juros baixos, a poupança rende menos devido a uma regra criada em 2012. Quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, a rentabilidade da poupança é de 6,17% ao ano (0,5% ao mês) mais TR (Taxa Referencial). Porém, quando a Selic é igual ou menor que 8,5%, a poupança passa a render 70% da Selic mais TR.

Juros x inflação

Os juros são usados pelo BC como uma ferramenta para tentar controlar a inflação ou tentar estimular a economia. De modo geral, quando a inflação está alta, o BC sobe os juros para reduzir o consumo e forçar os preços a cair. Quando a inflação está baixa, o BC derruba os juros para estimular o consumo.

A meta é manter a inflação em 4% neste ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto para cima e para baixo, ou seja: pode variar entre 2,5% e 5,5%. No ano passado, a inflação fechou em 4,31%, dentro da meta do governo para 2019.

O índice de março deste ano, o último divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ficou em 0,07%, o menor para o mês em 26 anos.

(Com agências de notícias)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas


Fonte: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/05/06/bc-juros-selic.htm

Mercado imobiliário de luxo: as tendências de 2020

05 de maio de 2020

Desde 2018, percebeu-se que o mercado de imóveis começou a engatar em um ciclo de alta. Com o aumento da confiança e a retomada da economia brasileira, o número de plantões de venda, lançamentos de empreendimentos e negócios fechados têm aumentado significativamente. 

Dentro desse mercado, o segmento de Imóveis de Luxo é um dos mais seguros, já que a valorização cresce acima da média. Segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas), o setor imobiliário de luxo viu seus lançamentos aumentarem em 142% em 2018, enquanto as vendas desse tipo de habitação subiram a 92% no mesmo período.

O melhor é que o estudo demonstra um ritmo acelerado para o mercado nos próximos 5 anos, com cerca de 14 milhões de novas moradias até 2025. Com a alta demanda, os valores tendem a subir, o que faz apontar que o período ideal para investir no mercado imobiliário é entre 2020 e 2021, enquanto a moeda brasileira segue desvalorizada frente ao dólar e o valor dos imóveis ainda está reduzido. 

Os números divulgados no Raio-X do 3º trimestre pelo FipeZap, comprovam isso. De acordo com os dados, 38% dos entrevistados declararam querer adquirir um imóvel nos próximos três meses. Desses, 88% desejam comprar para moradia própria e 12% buscam investir. Outro estudo, realizado pela Secovi-SP, demonstra que o público está em busca de imóveis maiores, de 100m² a 200m², que custam entre R$ 800 mil e R$ 2 milhões, respectivamente. ⁣

E como não poderia ser diferente, o setor imobiliário em Balneário Camboriú vem crescendo a passos largos. O mercado está aquecido e, para 2020, as perspectivas são ainda melhores. A escolha por Balneário Camboriú se deve em função de uma série de variáveis, entre elas vale destacar que a cidade, conhecida como a Dubai Brasileira, possui o segundo maior IDH de Santa Catarina. 

Como se isso não fosse suficiente, Balneário Camboriú foi eleita ainda como a quinta melhor cidade do país pelo IGM (Índice de governança municipal que avalia as cidades em termos de finanças, gestão e desempenho). Ao mesmo tempo, investimentos maciços estão sendo realizados para atrair mais turistas e oferecer outras opções de lazer aos moradores. Entre eles, já está em construção a segunda maior roda gigante da América do Sul, a BC Big Wheel. 

Diante dessa perspectiva, é essencial entender o que o consumidor atual busca nos empreendimentos que deseja investir. Algumas tendências se destacam no mercado imobiliário atualmente. São elas:⁣

 

Valorização da localização

 

A prioridade cada vez mais é a qualidade de vida, o que as leva os consumidores a optar por morar em condomínios bem localizados, situados onde há boa oferta de comércios e serviços, além de facilidade de locomoção. Em mercados como Balneário Camboriú, a boa localização gera um valor agregado bem significativo no imóvel.⁣

 

Condomínios completos

 

 

Também aliado a qualidade de vida, os condomínios completos surgem como uma opção de segurança e entretenimento. A intenção do consumidor é ter acesso a academia, piscina, salões de festas, espaços kids, espaços de conveniência e diversos serviços sem sair de casa. É transformar o espaço interno num centro de entretenimento e lazer, com todo conforto e segurança.⁣ ⁣

 

Apartamentos inteligentes

 

A automação residencial é um conceito que está em alta e mostra que os imóveis estarão cada vez mais preparados e inteligentes. Já é possível controlar o acendimento de luzes, temperatura, termostato e aparelhos espalhados pela casa de forma remota e automatizada. A tendência é que essa prática se torne ainda mais comum. Em apartamentos de luxo já estão disponíveis diversos serviços remotos, desde acionamento de aparelhos via wifi até abertura de portas e elevadores por QR Code e aplicativos.⁣

 

Plantas personalizadas

 

Plantas que se adequem às necessidades de cada família é uma tendência bem marcante em empreendimentos de alto padrão. O atendimento aos hábitos e costumes de cada família são indispensáveis para proporcionar o conforto e bem-estar sob medida. Um mesmo empreendimento poderá ter plantas alternativas, em que o consumidor opta pelo número de suítes ou quantidade de vagas de garagens. É possível até mesmo escolher uma sala mais ampla, com churrasqueira integrada ou isolada no imóvel. Tudo isso para atender de forma personalizada e exclusiva o consumidor moderno.⁣

 

Integração com o meio ambiente

 

 

Através de recursos arquitetônicos como aberturas amplas, a tendência é trazer a paisagem de fora para dentro do imóvel. Além da questão estética, essa funcionalidade permite aproveitar ao máximo a iluminação natural e otimizar a ventilação do ambiente. São iniciativas inovadoras que visam proporcionar beleza estética ao imóvel e funcionalidades práticas aos moradores.⁣

 

Luz e silêncio controlados

 

Com o desenvolvimento das cidades, principalmente em centros urbanos, ruídos e a luminosidade são cada vez mais intensos. Por isso, um dos itens de luxo e apontado como grande tendência imobiliária e arquitetônica são as janelas anti-ruído, utilizando-se vidro duplo, que fornecem conforto termo-acústico adequado. Outro item essencial, seguindo essa mesma tendência, são as persianas externas automatizadas, feitas para controlar a luz do ambiente remotamente, sem interferir na decoração do espaço.⁣

 

Sobre a Arrka

 

Há mais de 20 anos, a Arrka é uma construtora engajada em cada novo projeto para surpreender. Conceber projetos contemporâneos, arrojados e estudados, para atender as mais altas expectativas do cliente moderno, faz parte do seu DNA. Com foco em alta qualidade nos produtos e satisfação total dos clientes, possui solidez financeira e atendimento de excelência, exigidos por um mercado segmentado e exclusivo.  É desta forma que alia técnica, conhecimento, tecnologia e espírito empreendedor para estabelecer seus empreendimentos no litoral catarinense.

 

2020 © Arrka Empreendimentos | todos os direitos reservados.⁣


Fontes: Seu Dinheiro | InfoMoney | Imóvel Web | >Fórum da Construção | Jornal da Globo